Jovens católicos e evangélicos participam de evento sobre unidade

Home Notícias Jovens católicos e evangélicos participam de evento sobre unidade
  • Postado em: 07/07/2018
  • Categorias: Notícias
  • Autor: Marina Venuto

Em seu primeiro retiro, o Encristus Jovem reuniu cristãos de diferentes denominações e recebeu padres e pastores nos dois dias de encontro

Com forte apelo de unidade entre cristãos de diferentes denominações, o primeiro retiro do Encristus Jovem, ocorrido no último fim de semana (30 de junho e 1 de julho) em Vargem Grande Paulista, reuniu jovens católicos e evangélicos de diversas cidades da Grande São Paulo e contou com a presença de padres e pastores que acreditam na importância da unidade do Corpo de Cristo. Sob o tema “Vinde e Vede”, de João 1:39, em que Jesus convida dois discípulos para conhecerem sua casa e o convite de Salmos 133:1: “Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união”, o propósito do encontro também foi conscientizar o jovem a respeito da importância em conviver e orar com irmãos de denominações diferentes da sua, para que ambos sejam enriquecidos em sua caminhada com Deus a partir dos exercícios da tolerância, do perdão e da humildade.

Durante os dois dias de encontro, os participantes puderam ouvir pregações e conhecer testemunhos de pessoas que entendem a força da unidade entre os cristãos, pois experimentam isso em suas próprias vidas. Logo no início do evento, o testemunho de Leyse Santos, de 16 anos, da Paróquia Frei Galvão e do Grupo de Oração Chagas Abertas, em Vargem Grande Paulista(SP), levou os presentes a refletirem sobre como os não-cristãos são impactados quando vêem a unidade entre as denominações e, em contrapartida, como muitos cristãos, quando enfatizam a divisão, dão um contra-testemunho a respeito da oração feita por Jesus em João 17:21 “A fim de que todos sejam um. Como tu, Pai,estás em mim e eu em ti, que eles estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste”. Ou seja, o mundo crerá em Jesus quando aqueles que professam seu nome unirem-se apesar das diferenças doutrinárias.

O pastor José Carlos Marion, de Jundiaí (SP), que é membro da equipe de serviço do ENCRISTUS (Encontro de Cristãos em Busca de Unidade e Santidade) e também integra uma das quatro comunidades cristãs e evangélicas que transformaram-se em uma só no ano de 2013 na cidade de Jundiaí, esteve presente falando sobre a história da unidade ao longo da história da igreja e ressaltou que ela precisa ser vivida antes da segunda vinda de Cristo, de outra maneira, não há sentido acreditar que acontecerá espontaneamente no coração daqueles que, no tempo oportuno, a rejeitavam. Pastor Marion ressaltou ainda que o ENCRISTUS busca a unidade no espírito. “Existe diferença entre buscar a unidade da fé e a unidade no espírito. Nós nem conseguimos chegar a essa unidade da fé (ou seja, nas doutrinas) por nós mesmos. Primeiro precisamos recuperar a unidade do espírito, a partir do que temos em comum independente da denominação, que é a crença em Jesus como único salvador”, explicou. Fazendo referência ao que diz em Efésios 4:3, pastor Marion também lembrou aos jovens que tentar buscar a unidade da fé antes da unidade no espírito é o que impossibilita a união entre os cristãos e que ainda precisamos preservar a unidade do espírito pelo vínculo da paz. Ele usou o exemplo que há no relacionamento entre marido e mulher para exemplificar a unidade que, a despeito das diferentes identidades, precisa acontecer entre os cristãos. No casamento estão presentes as identidades masculina e feminina e mesmo assim ambos se curvam à convivência sob o mesmo teto por causa do amor. Da mesma maneira é a unidade necessária entre os cristãos com identidades diferentes, ninguém precisa abrir mão de quem é para viver em amor fraterno com o outro.

Pastor Marion ainda conduziu um momento de envio aos jovens presentes pela causa da unidade, onde padres e pastores oraram por broches com a inscrição “70×7” para lembrar que o perdão é palavra-chave para os que desejam viver a unidade. Os jovens receberam o broche e a incumbência de viverem a unidade como testemunho de vida. Também esteve presente o padre Luiz Roberto (Beto), vigário da Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Ibiúna (SP). Ele falou sobre como foi chamado para a obra de Cristo e do trabalho de evangelização que faz com skatistas. O padre Daniel Vitor, que é pároco da Paróquia Santa Teresinha, em São Roque (SP), fez um momento de oração com os presentes e também acredita na importância da unidade no Corpo de Cristo.

O testemunho de Rogério Varella, membro da igreja evangélica Bola de Neve Church, na Lapa (SP), mostrou que a unidade também enriquece a causa social. Junto de alguns católicos, Rogério mantém um trabalho de evangelização com menores da Fundação Casa, em São Paulo, e demonstra que estar unido com irmãos de outras denominações fortalece ainda mais a mensagem de salvação levada aos jovens e adolescentes em reabilitação. Ao perceberem que aqueles que pregam o amor de Cristo (e poderiam fazê-lo de modo a disputar o mesmo campo de atuação) estão unidos e se ajudam mutuamente, isto revela a eles a coerência e o amor que há naqueles que professam a mesma fé em Jesus, independente das denominações.

Anderson Novaes, da Paróquia Santa Rita de Cássia (Comunidade Santa Rita), em Carapicuíba (SP), definiu em sua pregação o que propõe a unidade entre os cristãos. “O ENCRISTUS é mais que um movimento ou uma plataforma de unidade, mas um mover de salvação para cada um de nós”. No sábado houve ainda pregações de pastores como Paulemar, da Assembleia de Deus em Cotia (SP), e Ângelo Bazzo, do Movimento Convergência em Monte Mor (SP). Ângelo falou sobre “Avivamento e unidade dos cristãos” e contou sua experiência com este mover. Também lembrou aos jovens que a divisão foi a melhor estratégia do diabo para distrair e enfraquecer a igreja, pois levou os cristãos a brigarem entre si e a esquecer que é ele, o diabo, o único inimigo que ambos possuem e precisam combater.

No domingo, logo pela manhã, foi o único momento em que os participantes precisaram dividir-se. O momento já é tradição no ENCRISTUS e consiste no acontecimento simultâneo da missa católica e do culto evangélico ocorridos em locais diferentes. Com isso, os participantes são levados a refletir sobre o fato de que, apesar da caminhada rumo à unidade plena entre os irmãos enfatizada pelo ENCRISTUS, seria ingenuidade acreditar na resolução de todas as desavenças que separaram católicos e evangélicos durante séculos desde a Reforma Protestante pelo simples fato do acontecimento do evento. Porém, é certo que chegará o dia em que, plenamente, seremos um só com o Senhor e com todos os irmãos e finalmente sentaremos juntos à mesa na celebração das bodas do Cordeiro.

Ainda no domingo, os jovens puderam ouvir as pregações do católico José Aparecido Soares (Cido), da Paróquia Nossa Senhora Medianeira De Todas As Graças e da Comunidade Missão Rio de Deus, em Itapevi (SP), e do Padre Douglas Pinheiro, pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Jandira (SP), e membro da equipe de serviço do ENCRISTUS. Padre Douglas lembrou em sua pregação o fato de a Trindade ser uma comunhão de pessoas e isto demonstrar a importância de os cristãos manterem comunhão com outros irmãos, ainda que de denominações diferentes. “Para me parecer com Deus eu preciso ser como Ele é: uma comunhão de pessoas”, afirmou o padre. Ele também reforçou que a divisão entre os cristãos é muito mais baseado na tendência pecaminosa do homem do que nas diferenças doutrinárias. Nos dividimos, na maior parte das vezes, porque não queremos perdoar a falha do outro ou queremos ser melhores e mais poderosos, com isso a humildade e o amor são deixados de lado.  

Viviane Serrano, da Comunidade Evangélica Carisma, em Osasco (SP), também  testemunhou sobre sua experiência com a unidade dos cristãos. Apesar de ter nascido em um lar católico, desde os 6 anos de idade tornou-se evangélica junto com a família e, conforme crescia, percebia a divisão não só entre católicos e evangélicos mas entre os próprios evangélicos. Anos mais tarde, num momento em que trabalhava muito e não conseguia ir com tanta frequência à igreja, deparou-se com as mensagens do Padre Léo na TV que aqueceram seu coração. Ao descobrir-se uma evangélica que gostava de ouvir pregações de um padre passou a entender que não importava se a mensagem vinha de um padre ou de um pastor, bastava que o conteúdo a aproximasse de Cristo. “Porém, não tinha liberdade de compartilhar essa paixão que me invadia, sempre era criticada quando deixava escapar sobre o assunto. O que eu queria era viver a unidade sem nem saber que ela existia”, contou. Viviane participou de seu primeiro ENCRISTUS em 2017 e desde então se sente chamada a viver a unidade junto de outros cristãos. “Sou uma cristã que, por acaso, frequenta uma comunidade evangélica, mas o que desejo mesmo é viver na simplicidade de Jesus”.  

Durante os dois dias de encontro, o louvor foi conduzido pelo ministério católico Missão Rio de Deus, que tocou músicas de autores católicos e evangélicos. O “Encristus Jovem” é fruto do ENCRISTUS, uma plataforma que existe há 10 anos no Brasil e que favorece o encontro de evangélicos e católicos que desejam buscar a santidade e a unidade fraternalmente, movidos pela efusão do Espírito Santo que experimentam em suas comunidades locais. Nos próximos dias 25 e 26 de agosto acontecerá o encontro anual do ENCRISTUS com o tema “Paternidade e Unidade” e é aberto para quem desejar conhecer e viver a união entre os cristãos. Inscrições em http://www.encristus.com.br/evento/encristus-2018-paternidade-e-unidade.

Compartilhar artigo

Leave a comment