Encontro nacional celebra 10 anos de Encristus

Home Notícias Encontro nacional celebra 10 anos de Encristus
  • Postado em: 30/11/2017
  • Categorias: Notícias
  • Autor: Marina Venuto

Cristãos de diferentes denominações estiveram juntos na cidade de Sorocaba (SP) onde também aconteceu o lançamento do livro “Dá-me um pouco da tua água”

Foi no último fim de semana de novembro, nos dias 25 e 26, que cristãos de diferentes denominações reuniram-se para celebrar os 10 anos de existência do Encristus (Encontro de Cristãos em Busca de Unidade e Santidade) no Brasil. Com o tema “Unidade, o clamor do coração de Deus!”, o evento aconteceu no Centro de Eventos Vale da Águia (Sorocaba-SP) e contou com a participação de católicos e evangélicos que, juntos, viveram momentos preciosos de louvor, oração e comunhão.

Abrindo o encontro, um dos pioneiros da Renovação Carismática Católica (RCC) no Brasil, Reinaldo Bezerra, lembrou aos presentes que a prática adotada pela equipe de serviço para o bom relacionamento nestes 10 anos é, principalmente, tentar compreender o ponto de vista do irmão, entendendo as diferenças, porém, reconciliados com Deus e uns com os outros. Reinaldo salientou a importância da definição da identidade de cada um (seja católico ou evangélico) e  que o fato não significa um empecilho para a unidade. “Sabemos que Deus tem um desígnio em seu coração, que é reunir em Jesus todas as coisas. Se temos dúvidas quanto ao ecumenismo, isso é o mesmo que duvidar do cumprimento da oração intercessória de Jesus em João 17”, reforçou Reinaldo.

Já Christopher Walker, que é evangélico e um dos fundadores da Revista Impacto, falou sobre a ferida que a falta de unidade causa não somente no Corpo de Cristo, mas no coração de Deus. Christopher mencionou ainda sobre a primeira divisão, ocorrida entre cristãos gentios e judeus, e pontuou que a plena restauração da Noiva dificilmente acontecerá enquanto essa ferida não for curada. “O choro do coração de Jesus causará choro no nosso coração e este é o início da cura da divisão”.

Dando sequência às pregações, Padre Douglas Pinheiro, que é pároco na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Jandira (SP), e assessor para o diálogo ecumênico da Diocese de Osasco, lembrou que os verdadeiros inimigos dos cristãos  são o inferno, o mundo e a carne, e não o irmão de outra denominação. Padre Douglas reforçou que o mal é a não-unidade das coisas, sendo a divisão o primeiro efeito desse mal. Por outro lado, Deus criou a humanidade inspirado em Jesus, seu filho, portanto todos fomos confeccionados na lógica do Criador e para um fim único: existir em Jesus, por causa de Jesus e para a glória de Jesus. Tudo que se encontra fora deste propósito é a carne desejando bastar-se a si mesma, declarando-se independente de Deus.

Pedro Arruda, que é católico e faz parte de uma comunhão de grupos espalhados pelo Brasil, também reforçou em sua ministração que a divisão se encontra no lado da carne e que viver a unidade é agir em favor dessa causa. A respeito da ferida da divisão, Pedro ainda lembra que Deus não é um mero expectador de nossas angústias, mas o maior sofredor de todos pela destruição que o pecado da divisão nos causou.

Com o tema “Dilatai-vos também vós: a abertura de coração como requisito para a caminhada em unidade”, o Pastor Rui Luis, da Comunidade Carisma, em Osasco (SP), afirmou que o Encristus é um longo aprendizado sobre o próximo e que nunca houve tanta abertura para a unidade dos cristãos como nos dias atuais. Pastor Rui salientou que o maior sinal do dom do Espírito é a unidade e o que nos impede de viver essa prática fraterna é nossa própria estreiteza e não se aperceber do perigo da autossuficiência. “Como podemos nos corrigir? Mudando nosso olhar sobre o outro e nos esforçando para entender seu lugar no desenho salvífico de Deus”, explicou.

Finalizando o primeiro dia de encontro, o Pastor José Carlos Marion, de Jundiaí (SP), oficializou o lançamento do livro “Dá-me um pouco da tua água”, explicando que o principal objetivo é que, a partir da leitura do livro, outros cristãos sintam-se motivados a viver em unidade com irmãos de diferentes denominações. Como é de costume nos encontros do Encristus, o domingo tem início com a missa e o culto que acontecem simultaneamente, um fato sempre lamentado pelos participantes pois é o único momento do evento em que católicos e evangélicos precisam se separar.  

Na primeira pregação do domingo, Pastor Silas Esteves, da igreja A Palavra Viva em Monte Sião (Niterói-RJ), falou sobre uma restrição divina à unidade ocorrida na torre de Babel e relatada em Gênesis 11. Segundo o pastor, Deus precisou dividir a humanidade através da comunicação pois o problema maior eram os homens desejarem ser um sem Deus. O pastor também exortou os participantes a intercederem continuamente para que os ruídos tão presentes na comunicação humana sejam vencidos e haja a possibilidade de unidade entre cristãos de diferentes denominações.

Em seguida, o Pastor Jamê Nobre, que serve a Deus no ministério há mais de quatro décadas e tem como encargo maior a unidade da Igreja, apontou Jesus como o grande homem de dores e o primeiro a sofrer com a falta de unidade entre o seu povo. Apontou que unidade para Deus significa morte, sacrifício das próprias vontades, e não uma simples matéria teológica. De acordo com o pastor, “não há unidade sem esvaziamento, morte ou sofrimento” e que fugir dessa realidade nos impede de viver unido ao próximo.

A última pregação do encontro foi dada pelo Padre Marcial Maçaneiro, que integra a Comissão Internacional de Diálogo Católico-Pentecostal (Vaticano) e é representante da Comissão Episcopal e Pastoral para o diálogo ecumênico e inter-religioso da CNBB. Com o tema “Um coração oblato”, padre Marcial exortou sobre a necessidade de estarmos disponíveis à unidade e principalmente sensíveis sobre o que a falta dela causa no coração de Deus. “Unidade tem tudo a ver com obediência”, pontuou o padre, que lembrou ainda que os verdadeiros discípulos de Jesus são conhecidos pelo amor que demonstram uns pelos outros.

O Encristus não se resumiu às pregações, mas foi vivido intensamente em cada conversa, oração, partilha e comunhão praticada pelos participantes vindos das mais diversas igrejas do Brasil. Os momentos de louvores foram conduzidos pelo Missão Rio de Deus e, em cada música, era nítida a celebração desses 10 anos de caminhada. No canal do Encristus no Youtube, é possível conferir na íntegra as palavras ministradas durante o encontro.

Créditos/Fotos: Luana Christina e Cilene Rodrigues.

Compartilhar artigo

Leave a comment